Festivais

17º Intercéltico de Sendim, de 4 a 6 de Agosto

intercelticosemdim2016

17º Intercéltico de Sendim

4 a 6 de Agosto, Miranda do Douro e Sendim

A festa começa em Miranda do Douro, no dia 4 de Agosto, com concertos  de ANDARILHO 2.0 (Portugal) e ALMEZ FOLK (Castilla la Mancha), grupo  este que no dia seguinte actuará em Sendim, no Parque das Eiras,  depois dos concertos da Orquestra de Foles e dos galegos PEPE VAAMONDE  GRUPO. E NO DIA 6 DE Agosto, depois da abertura com os mirandeses TRASGA, actua o grupo-revelação da folk irlandesa, FULL SET, que recentemente triunfou no Festival de Ortigueira, encerrando-se a noite com a inebriante música dos NAHEBA, provenientes da Cantábria.

As actividades paralelas colocam em destaque a língua e a cultura mirandesas, com a realização de conferências, apresentação de livros e exposição de aguarelas mirandesas de MANUEL BANDARRA, numa Casa da Cultura de Sendim onde funcionará o Terreiro dos Pauliteiros. Pauliteiros que serão os protagonistas no domingo, pela tarde, no Largo da Igreja, onde decorrerá o V ENCONTRO IBÉRICO DE DANÇAS DE PAULITEIROS.

Destaque ainda para a homenagem a Alípio de Freitas e para a evocação de José Afonso (sempre presente no festival), através do lançamento de um livro sobre a presença da música tradicional na sua obra, numa sessão que contará com cantigas a cargo de VICTOR LOPES e FRANCISCO FANHAIS.

Começamos no já distante ano de 2000 as celebrações sendintercélticas. E, ano após ano, fomos insistindo e reincidindo, graças ao apoio de todos quantos se deslocam a Sendim para viver a festa, convictos de que essa era razão mais que suficiente para porfiar. Fomo-nos habituando a ver caras conhecidas, a fazer amigos fiéis e a partilhar cumplicidades culturais, sendo cada edição do FESTIVAL INTERCÉLTICO DE SENDIM uma oportunidade única de (re) visitação e de (re)encontro. E muitas vezes nos fizeram esta mesma pergunta: então que novidades é   que temos para este ano? A resposta foi – e continuará a ser – a de sempre: nada de novo porque nos renovamos como o ciclo das estações. As árvores são as mesmas, com troncos mais grosso e ramos mais fortes, mas as folhas, as flores e os frutos são os de sempre, porque é assim que tem de ser e a natureza das origens do festival assim o determina. Sejamos, pois, sendintercélticos no convívio e na festa!…

Fonte: Sons da Terra

Previous ArticleNext Article

Deixar uma resposta

Bad Behavior has blocked 408 access attempts in the last 7 days.

Send this to friend